Terça-feira, 22 de Agosto de 2017

Receitas e Saúde

Publicada em 18/04/17 as 13:13h - 323 visualizações
Começa a campanha de vacinação contra a gripe
Para este ano, o público prioritário em Minas Gerais representará aproximadamente 5,5 milhões de pessoas.

Fervedouro Conectado


 (Foto: Fervedouro Conectado)
Começou nesta segunda-feira (17) em todo o país a 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe.  A campanha segue até o dia 26/5 e o dia "D" de mobilização nacional está programado para 13/5, um sábado. O objetivo é reduzir as complicações, as internações e a mortalidade decorrentes das infecções causadas pelo vírus da Influenza.

A meta é vacinar 90% do público prioritário, cerca de 5.560.505 pessoas em Minas Gerais com faixa etária de 60 anos ou mais de idade, crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, povos indígenas aldeados, população privada de liberdade e grupos especiais (portadores de doenças crônicas não transmissíveis).
Também estão incluídos, os professores das escolas públicas e privadas (esse público representará aproximadamente 253 mil pessoas em Minas Gerais).

De acordo com a diretora de Vigilância Epidemiológica da SES-MG, Janaína Fonseca Almeida, a vacinação traz grandes benefícios para a população, principalmente para o público que possui um risco maior de desenvolver complicações da doença. "Como os vírus que causam a gripe se modificam a cada ano, é importante que as pessoas compareçam às unidades de saúde para serem imunizadas anualmente. Para as pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, independentemente da idade (conforme indicação do Ministério da Saúde em conjunto com sociedades científicas), mantém-se a necessidade de prescrição médica, especificando o motivo da indicação da vacina", reforça Janaína.

Ainda segundo a diretora, a gripe pode ser causada pelos vírus Influenza A, B e C. "Os vírus A e B apresentam maior importância clínica. Estima-se que, em média, as cepas A causem 75% das infecções, mas em algumas temporadas ocorre predomínio das cepas B. Os tipos A e B sofrem frequentes mutações e são responsáveis pelas epidemias sazonais, também por doenças respiratórias com duração de quatro a seis semanas e que, frequentemente, são associadas com o aumento das taxas de hospitalização e morte por pneumonia. Já o tipo C causa problemas respiratórios leves e infecta humanos, cachorros e porcos", explica.



Visitas: 1575625 Usuários Online: 144


Curtam nossa página

Parceiros



Proibida cópia de conteúdo e imagens sem prévia autorização!
Copyright (c) 2017 - Fervedouro Conectado - Todos os direitos reservados